Curar e Reparar

Em Coimbra encontra-se a decorrer a Bienal de Arte Contemporânea desta cidade, com o tema “Curar e Reparar”, de 11 de Novembro a 30 de Dezembro de 2017. Esta bienal tem como conteúdo central da sua reflexão o património da cidade de Coimbra e a presença permanente das relações entre arte e arquitectura, como a organização explica. Deste modo, a bienal forma um conjunto de exposições em localizações distintas da cidade (Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, o Museu da Ciência, a Maternidade Bissaya Barreto, entre outros) cujo epicentro se localiza no Mosteiro de Santa a Clara-a-Nova, um edifício barroco do século XVII.

Em 1910 a parte norte do Mosteiro foi atribuída ao Exército, que a ocupou até 2006, estando desde então desocupado e sem visitas ao público. Esta bienal veio atribuir à cidade de Coimbra a obrigação cívica de se pronunciar sobre o destino a dar a este conjunto monumental, de modo que não o afaste novamente da sua utilização pública e inclusiva, como refere Carlos Antunes, director do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra.

Perante a oportunidade de explorar um espaço arquitectónico rico, que permaneceu até hoje inacessível, e recheado de obras de arte de 35 artistas,  fomos visitar a exposição em família.

Adorámos explorar o interior e o exterior do Mosteiro!

Partilho convosco algumas imagens, sem querer expor muito as obras ali patentes para vos deixar curiosos.

12 thoughts on “Curar e Reparar

  1. J.
    Na impossibilidade de visitar…😕fui a procura de informações. Quão valioso esse mosteiro para a história de Portugal e que abriga , no momento, iniciativas de exposição cultural !
    Me ative ao Belíssima arquitetura e curiosidades sobre o local, deixando para outra oportunidade a pesquisa dos outros sítios onde acontece essa iniciativa tão preciosa.
    Me parece que as cheias do Rio Mondego, continuam a dominar a construção reavivada no séc. XVII, conforme vídeode 2016

    Oxalá as futuras gerações contem com governos preocupados com a história desse teu lindo país!!
    Um abraço e ” invejinha branca”😃desse teu passeio.
    S.O.
    Rio

  2. J.
    Em tempo, um 10!!! para o fundo musical do video.
    ” Guitarrada” pelo Quarteto de guitarras de Coimbra ❣️
    S.O.
    Rio

  3. Joana, que património tão valioso, e que privilégio poder descobri-lo. As exposições e mostras têm essa mais valia: de ficarem patentes em locais que normalmente não estão abertos ao público e desta forma devolver à cidade ( de forma temporária ou permanente) e aos cidadãos, espaços tão ricos em história e arquitetura. Beijinho e bom fim de semana.

    • Sem dúvida, Val! Estes monumentos acabam por ser autênticos tesouros nas localidades, à espera de serem redescobertos e revitalizados. Vamos ver a que futuro ficará devotado. Beijinhos e boa semana

  4. Fico feliz, Joana!
    É uma pena a riqueza da cidade ficar descurada! Acho que é um luxo a que as cidades muito ricas em monumentos se dão por vezes: serem pouco cuidadosas! Mas tudo isso está a mudar, felizmente!
    E que cidade magnífica que é a nossa cidade! Também a sinto muito minha 😉
    Beijinhos!

    • Esta cidade também é tua, Ana! E acho que irias adorar visitar o Mosteiro. 🙂 Tenho esperança que alguém pegue no Mosteiro e que o consiga devolver à sociedade civil de alguma forma. Fala-se numa pousada…vamos ver. Beijinhos

  5. Que belíssimo, Joana, e importantíssimo trazer à tona essas preciosidades de nossa cidade e sua história, que infelizmente muitas se perdem para as novas gerações. Beijo e ótimo domingo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s